Moda sustentável? Mais que bicho {não mais tão raro assim!} é esse, afinal?

Um braço da moda com muitas descobertas ainda por fazer.  Falar de moda sustentável é abrir um leque bonito, mas “imeeeeenso”; então vamos começar a sentir a brisa que vem soprando e anunciando a presença do novo consumidor de moda?  Será você um deles?

 
{Linguagens da Moda}
 
A primeira definição que nos vêm à cabeça é que moda = r-o-u-p-a.  Só que não!  Moda também é penteado, um calçado com pegada diferente, adereços, acessórios, outros tantos objetos de decoração e comportamentos {comportamentos?} que criam uma conexão emocional, como ouvir um determinado estilo de música ou dar novos significados à objetos que foram criados para ter uma funcionalidade e passaram a ter outra com outro significado. Ahhhhhh!  Linguagens da moda.  Estou em casa! 🙂
 
 
{Cultura & Criação}
 
No post “A moda em que me reconheço” mencionei que, o ano de 2009 foi de grandes transformações, na maneira como me vi {mergulhada!} na construção da moda em que me reconheço. Período que afundei, de corpo e alma, na cultura e criação na arte contemporânea, para conquistar a pós graduação em Artes Visuais.  Os trabalhos passaram a revelar novos sentidos, linguagens e reflexões quando o campo de pesquisa abraçou o universo das transformações processadas na produção visual dos últimos 150 anos.  {Cheguei no movimento da Pop Art ou Arte Popular e ali fiquei} 
 
Neste movimento, surgido na década de 1950, na Inglaterra e conhecido mundialmente, nos Estados Unidos, a partir de 1960, os artistas se inspiraram na cultura de massas para suas criações, estabelecendo um diálogo, uma troca ou experiência de vida com o espectador por meio de uma crítica à sociedade. Muitas obras foram criadas com latas de refrigerantes, embalagens de alimentos, histórias em quadrinhos, bandeiras e tantos outros objetos que usavam cores vivas e modificavam seus formatos. A Pop Art proporcionou a transformação do que era considerado vulgar em refinado e aproximou a arte das pessoas. 
 
 
Crédito da arte: Denise Padilha